Meus Livros
Naqueles dias em que me sinto vivo em umas trinta dimensões diferentes.
Alto, largo, e profundo até onde a imaginação alcança.

Sobre dimensões

— G.L.A. Pimenta

Aqui temos um ponto importante: nossa existência é grande demais para caber num corpo apenas, não importa seu tamanho. Sua vida está aí, espalhada ao seu redor, impregnada em tudo que você já tocou, pisou, amou, odiou. Por isso é tão difícil se livrar do que incomoda. Enjaular um sentimento dentro de você não adianta de nada se ele está também do lado de fora, se insinuando em várias formas, materiais ou não. É só olhar com um pouco mais de atenção à sua volta para ver que as causas de sua ansiedade estão chamando sua atenção, com luz estroboscópica e trio elétrico, em cada pessoa, em cada objeto.

Trecho de Tudo que Inexiste.

Tem novidade vindo aí!

humanidade-machare asked:
Que irado seu tumblr.

Muito obrigado!


A água escorreu entre os dedos para não sobrar muito que não fossem frágeis gotas oblíquas, nada páreas para o ar seco do inverno. E quando o último dos fios de água desceu pelas costas de sua mão, lembrou-se que era a mesma sensação de quando os fios do cabelo dela lhe escapavam, cada vez que acariciava sua nuca.
Ele apenas desejava ter, quando era o cabelo dela a escorrer por seus dedos, a mesma noção de que nada é para sempre, e que uma hora suas mãos ficariam secas e vazias outra vez.

Vidas inacabadas #11

— G.L.A. Pimenta

Aqui temos um ponto importante: nossa existência é grande demais para caber num corpo apenas, não importa seu tamanho. Sua vida está aí, espalhada ao seu redor, impregnada em tudo que você já tocou, pisou, amou, odiou. Por isso é tão difícil se livrar do que incomoda. Enjaular um sentimento dentro de você não adianta de nada se ele está também do lado de fora, se insinuando em várias formas, materiais ou não. É só olhar com um pouco mais de atenção à sua volta para ver que as causas de sua ansiedade estão chamando sua atenção, com luz estroboscópica e trio elétrico, em cada pessoa, em cada objeto.

Trecho de Tudo que Inexiste.

Tem novidade vindo aí!

Aqui temos um ponto importante: nossa existência é grande demais para caber num corpo apenas, não importa seu tamanho. Sua vida está aí, espalhada ao seu redor, impregnada em tudo que você já tocou, pisou, amou, odiou. Por isso é tão difícil se livrar do que incomoda. Enjaular um sentimento dentro de você não adianta de nada se ele está também do lado de fora, se insinuando em várias formas, materiais ou não. É só olhar com um pouco mais de atenção à sua volta para ver que as causas de sua ansiedade estão chamando sua atenção, com luz estroboscópica e trio elétrico, em cada pessoa, em cada objeto.

Trecho de Tudo que Inexiste.

Tem novidade vindo aí!

Mas não é o Sol mais torto que desenha as sombras mais bonitas?

Sobre o pôr-do-sol

— G.L.A. Pimenta

Sobre o trânsito

A vida se encontra em qualquer esquina, em todo mundo correndo para fazer a conversão proibida à esquerda. Eu, solitário, dou a volta no quarteirão seguindo as placas de retorno.
Ninguém multa mesmo, besta sou eu.
É, mas veja só, o sinal fechou e eu parei. Eu olho para cima e, com todo mundo preocupado em converter, aquele infinito todo é só meu.

— G.L.A. Pimenta

Sobre voltagem

É que todo mundo parece sugar minhas forças sem qualquer resistência, enquanto eu tento lamber fios de energia por aí sem sucesso.

Entre aquelas duas palavras, o espaço roubou-lhe o ar.
blog comments powered by Disqus
Theme Urban v3 by Max Davis