Meus Livros

quemsabenaproxima replied to your post: quemsabenaproxima asked:Você lê M…

Boa explicação :) eu também já cometi essa “cópia involuntária” com Montaigne. Ele é daquelas pessoas tão importantes, com uma influência tão enraizada, que a gente nem sente. Adoro seus textos, sejam eles “sobre” qualquer coisa :P

haha muito obrigado!

quemsabenaproxima asked:
Você lê Montaigne? Os títulos são sempre "Sobre", "Sobre", hehe.

Pois é, embora adore a relação de cópia involuntária que eu tenho hoje, eu falo com uma preguiçosa ligeira pequena grande vergonha que não conhecia o Montaigne quando comecei o blog.

Dois anos atrás o tumblr ainda era muito mais focado em blogs temáticos, cada tumblr era sobre uma coisa específica. Como eu não queria me limitar muito inventei essa de chamá-lo de Sobre Pessoas, porque não importa sobre o que eu falo, eu estarei falando sempre de mim e de todo mundo que se identifique :)


Sobre aplausos

O show tem que continuar?
Mas por quê, se o clímax vem quando a cortina fecha?
E quando virão os aplausos?
E quando virá a nova ideia?
E quando o show volta em cartaz?
O show tem que continuar, que continue sem mim.
Eu prefiro ouvir o silêncio.
Eu prefiro me sentir completo.
Te encontro de luzes apagadas no camarim.

— e.lisitsa

Sobre ombros

Ombros para trás, por favor, porque sua postura é uma afronta ao meu nariz empinado.

Sempre esperando mais das mesmas coisas
Eu, mas, basicamente, todo mundo.
Sobre ombros

Ombros para trás, por favor, porque sua postura é uma afronta ao meu nariz empinado.

Sobre tetris

— Você fala demais.
— É pra ocupar o espaço que ela deixou.

e.lisitsa

Sobre fotos

Os dois deitados na grama, e ele olhava a foto que tinham acabado de tirar.
— Eu queria poder parar o tempo agora.
— Mas você já fez isso tirando essa foto.
Ele analisou melhor.
— Não, mas a gente congelado assim é triste, meio melancólico.
— Mas de qualquer jeito seria, a vida só tem graça mesmo porque ela não para.
Ele guardou o celular no bolso e ofereceu o braço como travesseiro. Reparando bem, os dois podiam notar o movimento quase imperceptível das nuvens lá no alto.

-e.lisitsa

spsom:

Alguém quer um ebook do meu primeiro livro, Sem Talento, na faixa?

Só mandar um email para ericlisitsa@gmail.dizendo se quer em epub ou pdf! Sem pegadinhas ou letrinhas miúdas :)

A promoção que não é promoção continua!

oconfidentedointimo asked:
me refiro a c*mo se trata um conto c*mo produto... tipo, um livro blz, q é uma história grande, cm arte visual e tudo mais. mas um conto eu posso simplesmente cmprar e postar pra todo mundo ver e n precisar cmprar :S

Vou responder essa em público que é legal pra todo mundo.

Acho que isso não tem muito segredo. Essa ideia de que não dá pra vender um conto ou que conto é obrigatoriamente de graça vem da época em que só havia o meio impresso para publicação, que torna quase qualquer coisa com menos de 50 páginas inviável comercialmente.

Hoje você tem ferramentas para cobrar um real que seja em um conto e agregar (sério, o rei do camarote estragou essa palavra) algum valor a mais à sua obra. Infelizmente a gente vive em uma sociedade que o grátis é visto como menos importante, que o legal é pagar caro. E o conto é muito usado atualmente, principalmente em meio digital, como uma “demo” do autor, uma leitura rápida para ver se você curte o que ele escreve. Falando nele como produto, acho que esse é o melhor caminho.

Agora é claro, o conto pago tem que não só satisfazer o leitor como deixar ele querendo mais, senão não faz muito sentido. Aí, antes de falar em produto, tem que bancar o conteúdo.


blog comments powered by Disqus
Theme Urban v3 by Max Davis