Meus Livros
Sobre brechós

Divago.

Porque palavras antigas custam barato em brechó, ou são doadas para quem passa frio. Eu congelado não ganhei nenhuma. E nem sei o que faria com elas, afinal. É que não tenho cultura, não sei combinar broto e peralta com este sapato de couro de cobra que herdei do meu pai.

e.lis.

Sobre legado

A casa lotada de gente e eu, de tão deslocada e diferente, pensei:
Eu não vou dançar, e este será meu legado.

e.lis.

Sobre abismos

Vida as vezes é beira de penhasco imprevisível
Eu finalmente soltei os dedos
E finalmente eu voei

e.lis.

Sobre desgraçados

O personagem era interessante, bonito, inteligente e justo. Era o herói da história. Até que resolveu implicar comigo e criticar minhas escolhas. 

Matei o desgraçado quarenta páginas atrás. 

e.lis.

Sobre crimes


Era o crime perfeito. 

a arma seria destruída;

o corpo escondido para sempre;

documentos queimados;

impressões digitais apagadas;

frequência da polícia monitorada;

um voo só de ida marcado para o dia seguinte;

isolamento sonoro para não alarmar os vizinhos;

sapatos envoltos em plástico.

Era o crime perfeito.

Só precisava de uma vítima.

e.lis.

Sobre teatros

Enquanto sua atual personalidade girava no palco, as outras formavam a plateia. Algumas invejosas, outras com medo do público; a maioria esperava sua vez; a primeira na fila tinha mãos suando frio.
Fosse quem fosse, ela fazia de tudo para que o palco nunca estivesse vazio.

e.lis.

Sobre gramas

— Tão bom sentir meus dedos na grama molhada! E sabe o que é mais impressionante? É pensar que bilhões e milhões e milhares de anos se passaram, do nascimento de estrelas aos planetas, e em um destes pedaços de rocha uns pedacinhos ainda menores de nada viraram plantas e animais, e criaram um cérebro para que eu pudesse agora sentir meus dedos na grama molhada e sorrir.
— Senhor, tá falando com quem?
— Ahm.
— Pode sair daí, por favor? Tem uma placa pedindo pra não pisar na grama.
— Ah, foi mal.

- e.lis.

Sobre abrigos

Era como se eu fosse o tornado no porão, e as pessoas estivessem andando no dia ensolarado lá fora.

Sobre brechós

Divago.
Porque palavras antigas custam barato em brechó, ou são doadas para quem passa frio. Eu congelado não ganhei nenhuma. E nem sei o que faria com elas, afinal. É que não tenho cultura, não sei combinar broto e peralta com este sapato de couro de cobra que herdei do meu pai.

Sobre a bruma

Eu te perdi na bruma, a barreira suma sem empecilhos que eu pensava ser minha vida — que descobri ser só mais uma entre tantas tentativas de te cercar.
Era a minha perseguição,
através da bruma para te encontrar sem ar.

blog comments powered by Disqus
Theme Urban v3 by Max Davis