Meus Livros
Sobre paredes

Foi só parar uns segundos e notar o morrer do Sol na parede do meu quarto para perceber o espetáculo que eu perco a minha volta.
E foi só eu me perder para fazer parte da plateia.

— e.lisitsa

Sobre diálogos

Você voltou.

Eu disse que voltaria.

Você diz muitas coisas.

Todas relacionadas a você.

Lembra-se de quando nos conhecemos?

Era julho.

Era julho.

Esta cadeira está ocupada?

Não.

Desculpe…

Eu sei.

É que não pude deixar de notar.

Meu livro?

Meu preferido.

Não.

Em que página está?

Oitenta e quatro.

"Quem é você?" Perguntou Sofia.

Você errou.

Página errada?

Não existe Sofia.

Foi julho.

Sim, julho.

Foi errado mentir.

Eu já estava encantada.

E agora?

Você voltou. O encanto não.

Ele guardava as recordações do tempo em que estavam juntos em uma gaveta cheia de praticidades da sua vida. Era a sua faca de cozinha sem cabo, enferrujada, que ele resistia em descartar porque nenhuma outra lhe cortaria a pele com a mesma facilidade.

Vidas inacabadas #22

— e.lisitsa

Sobre espetáculos

Nessas horas eu me sinto como uma estrela, cada palavra saída de minha boca em onda estreita se alonga para aquecer quem estiver por perto. Tento capturar suas órbitas. Eu me desespero. As palavras consomem meu núcleo aos poucos e atravessam a nuvem de poeira ecoando gritos roucos por ajuda. E não é divertida a natureza humana? Nós explodimos em luz para tentar um segundo de espetáculo, para nos ver dissiparmos em um infinito de escuridão.

— e.lisitsa

Sobre receitas

Escrever às vezes parece aquela receita que não te impressiona de início, e você não percebe que a culpa foi da falta de novidade após provar o molho treze vezes.
Decepcionado, você guarda no congelador, espera uma semana, e mesmo requentado você acha o melhor molho do mundo.

— e.lisitsa

Sobre flechas

Enquanto todos se juntaram em ambos os lados, dois grupos separados, ela se manteve lá no meio
sozinha
braços abertos.
Ela era a única com ar para respirar, e grama para sentir com os pés descalços. Ela era a única disposta a ouvir as vozes através do vento.
Mas ela estava lá
sozinha
braços abertos
assistindo as flechas voarem sobre sua cabeça para alcançar o lado oposto do campo.

— e.lisitsa

Sobre túneis

Ela caminhava há horas pelo túnel, procurando por alguma luz. Olhando para o chão, não percebeu que era noite, e que já havia saído fazia tempo.

— e.lisitsa

Sobre a areia

A areia se desfez em minha mão, levada pela brisa. E no fim aqueles eram meus pensamentos, o vento era o tempo, e eu espero que nesta infinita praia meus grãos encontrem os seus de alguma forma.

— e.lisitsa

Sobre o tempo

Parece que foi ontem que você me disse amanhã.
Aí hoje, simples assim, o tempo vem e para.

— e.lisitsa

Sobre fantasmas

Você me disse que o problema era eu, você me disse.
Deu tanta raiva que eu voltei para te assombrar.
É, não era eu.
Seu coração tinha tantos fantasmas que eu fiquei sem ter lugar.

— e.lisitsa

blog comments powered by Disqus
Theme Urban v3 by Max Davis